sexta-feira, julho 27, 2007

Introdução

eu fico te achando nos lugares, nos poemas, nos olhares.
eu te acho sempre nos bares, nas mentiras, nos ônibus escolares.
e se eu te perco, algum dia, sem querer,
sou eu mesmo que esqueço dos milagres.

Desenvolvimento

Gregory Corso

É melhor homem soltar longas palavras
E engolir as que um outro fala
Pois não é digno homem de palavra
Quem ainda por cima reclama
Que aquelas que comeu não tinham sal

É melhor homem deixar a fala
E não ter boca
É melhor que alguém, eu mesmo,
Repare em sua falta

Não é meu vocábulo
E já estou cheio dos seus
É melhor costurar-lhe os lábios
Cortar as suas orelhas sem ouvidos
Queimar o seu dicionário

É melhor
Que os seus olhos ouçam e falem além disso

(Sem Essa Palavra)

Conclusão

Espero que permaneça inconcluso por muito tempo.

Um comentário:

André L. Soares disse...

Grande Poeta! Poesia boa assim tem que ser bastante lida (e relida). Vou linkar seu blog ao meu, para não perdê-lo de vista. Engraçado que você é da minha comunidade no Orkut ('Parceiros de Prosa e Poesia'), e mesmo assim eu ainda não havia te lido. Querendo, visita também meu blog e ponha um link dele aqui. Sugiro a você fazer o registro no Technorati e no BlogBlogs. Isso ajuda a popularizar sua arte através dos blogs. Grande abraço, Poeta!