sexta-feira, março 26, 2010

como saber-te
sem ser teu nó,
sibilante sombra
no azul da noite nua.

como seguir-te
sem desejar ser pó,
última foto do álbum,
que continua.

então mulher pássaro,
trago-te o ninho só,
povoado de beijos
que se vão.

penúltima canção,
sóbrio já não mais,
despido das muletas,
ouso em ti voar.

Um comentário:

SMM disse...

Oi gostaria muito que conhecesse o meu blog sobre a sindrome do panico, desde já agradeço a visita, um abraço