domingo, julho 26, 2009

domingão do faustão
reminiscências
que haverão

beira mar,
mãos nos cabelos negros.
entreguei tudo
nessa oferenda de paz
e saudade

meu amor passou
e minha janela
ainda estava fechada.

aonde haverá pousado?
com quem terá sorrido?

enquanto eu
estava encarcerado
nesse mesmo
velho quarto encardido.

volta logo meu amor
me acorda com teu cantar
espalha nuvens
pela minha cama

deixa tudo
ser
sem
ter
porque.

4 comentários:

Gabriela Galvão disse...

Qta beleza.

Má índole para os plácidos. disse...

oi. você você!

Má índole para os plácidos. disse...

oi. você você!

LOUCA PELA VIDA disse...

O verbo haver é impessoal... não vai para o plural. Pense a frase com o mesmo sentido, que concorde reminiscências com haverá.
Abraço, boa sorte nos teus amores, menino!