domingo, agosto 05, 2007

nada te atinge, mulher
pico da neblina

solta essa fera
solta esse grito
que vem das entranhas

te amo, meu homem
meu macho de mil cabeças
vem me rasgar

vem que eu te dou outra vez
o meu brilho de árvore seca
meu gosto de romã triste
minha lágrima engolida em seco

aceita a minha faca nesse coração duro
meu perdão de menina que perdeu o pai
meu lampião quebrado

amém

2 comentários:

conto.com disse...

Salve Poeta!
Vc soube interpretar um sentido presente nestes versos de grandeza ímpar.
Há tempos não me emociono com um poema, há alguns minutos meus olhos eram fonte quando eu o lia.
Peço-te licença para adotá-lo..rs
E lhe peço: continue!

Com minha gratidão,
Elisa Carvalho.

Roberta disse...

Te amo amor!
Muito obrigada
Vc tbm é minha inspiração